Empresas terão que se adaptar a esta nova mudança que garante mais agilidade

Constantemente o mercado passa por transformações, e uma novidade que muitas empresas terão que aderir é o eSocial, um sistema do Governo Federal que compreende dados cadastrais das empresas e emite uma guia com as contribuições fiscais, trabalhistas e previdenciárias, e entra em vigor em janeiro de 2018. Ao invés da empresa enviar o SEFIP, CAGED, RAIS e demais obrigações trabalhistas, enviará todas essas informações através deste sistema, que é capaz de agilizar os processos da empresa, e está ligada a gestão de pessoas, prometendo grandes mudanças, em que alterações serão sentidas.

Os departamentos pessoais conseguirão ser mais dinâmicos, pois atualmente, seus trabalhos são feitos com uma série de obrigações, que são comprovadamente cumpridas e entregues, de acordo com cronogramas específicos de maneira manual e precisam de revisão e apuração. E ainda, muitas informações prestadas se repetem em novos envios. Isso porque mais de seis órgãos no Brasil dependem de dados trabalhistas a serem enviados pelas empresas.

O eSocial prevê que este processo seja realizado no ambiente digital, onde os responsáveis pelos envios não precisam mais enviar informações repetidas. Este novo projeto do governo está vinculado ao Sistema Público de Escrituração Digital (Sped), muito conhecido dos contadores, e reunirá todas as informações de funcionários, sendo um ganho, tanto para o poder público, quanto para os empregadores, que terão significativa redução da burocracia, que envolve o tradicional sistema de entrega e que podem assim ter uma visão completa de todo o processo de gestão de pessoas, e para o Governo, a transmissão única permitirá identificar mais facilmente as irregularidades.

Uma grande vantagem do eSocial é que todas as informações serão feitas em tempo real. Se antes, muitas vezes eram produzidas ao longo de um mês ou de um ano, agora o processo é muito mais rápido. A admissão de um funcionário, por exemplo, será registrada em um prazo máximo de 24 horas, e muitos comunicados deverão ser feitos assim que notificados. Outro módulo da Cognum que contribui neste departamento das empresas é o módulo Gestão de Pessoas, que está em fase final de homologação para ser inserido no eSocial.

O sistema que é feito em tempo real oferece a possibilidade de processos realizados com a menor ocorrência de erros, e também inserindo dados no sistema elimina-se uma série de obrigações. As obrigações que estão previstas para serem substituídas pelo Projeto eSocial são: GFIP  –  Guia de Recolhimento do FGTS e de Informações à Previdência Social; CAGED – Cadastro Geral de Empregados e Desempregados para controlar as admissões e demissões de empregados sob o regime da CLT; RAIS – Relação Anual de Informações Sociais, LRE –  Livro de Registro de Empregados; CAT – Comunicação de Acidente de Trabalho; CD –  Comunicação de Dispensa, CTPS – Carteira de Trabalho e Previdência Social; PPP – Perfil Profissiográfico Previdenciário, DIRF – Declaração do Imposto de Renda Retido na Fonte, DCTF – Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais; QHT – Quadro de Horário de Trabalho, MANAD – Manual Normativo de Arquivos Digitais, Folha de pagamento; GRF – Guia de Recolhimento do FGTS e GPS – Guia da Previdência Social.

Agora, muitas empresas precisarão se adaptar a estas mudanças e iniciarão um processo de transição. Será necessário se habituar a registrar informações em tempo real. Assim, menos tempo e trabalho serão gastos com a documentação relacionada à gestão de pessoas, que organiza fatores decisivos no desempenho da sua empresa, primando por manter sua empresa e equipe seguras no cumprimento de obrigações legais. Consulte a Cognum sobre o eSocial e tire todas suas dúvidas!

Um comentário sobre “eSocial está sendo homologado na Cognum”

Os comentários estão desativados.